"Pobre é quem mais paga pelo aumento no preço do gás"

Quem afirma é Alexandre Borjaine, presidente da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP, em entrevista ao repórter Henrique Carmo. No acumulado do ano o reajuste já passou de 15%. Em alguns estados o botijão custa mais de 110 reais.

O preço médio do gás de cozinha no país acumula alta de 37,9% e o valor médio do botijão para o consumidor saltou de R$ 60, em janeiro, para R$ 75 na semana encerrada em 28 de outubro.

De acordo com a Petrobras, o aumento no preço é devido a alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no Hemisfério Norte.

O último reajuste aconteceu no dia 11 de outubro, quando os preços foram reajustados em média em 12,9%. Em nota, o Sindigás, que representa as distribuidoras associadas, estimou que a alta no preço do botijão "oscilará entre 4,2% e 4,7%, de acordo com o polo de suprimento".

Pela nova política de preços adotada pela Petrobras desde junho, o preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) passou a ser revisado todos os meses. Desde junho, a Petrobras já anunciou cinco aumentos e uma redução para o gás de cozinha.



Categoria:Economia

Deixe seu Comentário